Sarampo: Campanha de vacinação em 2018

O ano de 2018 está sendo, para nós brasileiros, um ano de muitas mudanças. Uma delas, infelizmente, é a volta do sarampo.

 

O sarampo é uma doença transmissível provocada por vírus. Ele ataca o sistema respiratório da pessoa doente.

 

A vacina de prevenção contra o sarampo, chamada tríplice viral (contra sarampo, caxumba e rubéola), é aplicada quando criança. E assim, controlada no país. Porém no ano de 2018, lamentavelmente, a doença reapareceu, principalmente na região Norte no Brasil, vinda de venezuelanos para o estado brasileiro.

 

Com o ressurgimento do sarampo, autoridades da saúde do nosso país necessitaram obter rápidas atitudes para que a doença não se espalhasse no Brasil e tornar uma epidemia.

 

Transmissão

Sua transmissão se dá através da respiração, por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, beijar, falar ou respirar.

Por ser uma doença altamente contagiosa é preciso ter bastante cuidado e se proteger da contaminação.

 

Sintomas

Os sintomas são similares ao da gripe, o que torna mais difícil do doente procurar um profissional. São eles:

  • Manchas vermelhas na pele, que começam no rosto e atrás do pescoço e passam para o tronco e membros.
  • Febre alta
  • Tosse persistente
  • Conjuntivite
  • Infecção no ouvido
  • Coriza (secreção nasal)
  • Fotofobia (sensibilidade à luz)
  • Cansaço
  • Falta de apetite

 

Tratamento

Para o tratamento do sarampo, o paciente precisa ficar isolado para evitar transmitir a doença. Além disso, é apenas o repouso e hidratação.

 

O repouso acontece, devido ao tamanho cansaço que o paciente demonstra ao possuir a doença. E a hidratação é necessária, devido as febres altas.

 

Ou seja, não existe tratamento específico para o sarampo e sim a prevenção da doença através da vacina tríplice viral que engloba a doença sarampo, caxumba e rubéola. Evitando não apenas o sarampo, mas as três doenças.

A vacinação

 

 

Com o surto de sarampo acontecendo em vários estados brasileiros, principalmente na região Norte, a recomendação é prevenir da doença através da vacina tríplice viral.

 

Para se precaver do surto, não só as crianças precisam tomar a vacina. É preciso que adolescentes e adultos reforcem a vacina, não apenas para se prevenir do sarampo, como também, evitar a circulação do vírus.

 

Segunda a Fundação Oswaldo Cruz,

“Dos três vírus combatidos pela vacina tríplice viral, o sarampo é considerado o mais perigoso. Segundo a recomendação oficial, por ser de alto contágio, é preciso que pelo menos 95% das pessoas tenham sido vacinadas no Brasil para que o sarampo não se espalhe. Caso contrário, basta ter uma única pessoa não vacinada em uma cidade para que o vírus trazido por um infectado consiga chegar a ela.”

 

Com a circulação de pessoas, é enorme o risco do vírus se espalhar. E para todos ficarem tranquilos, a melhor forma é se precaver com a vacina.

 

Quem deve tomar a vacina?

A partir dos 12 meses de vida, pessoas de todas as idades devem tomar a vacina. Os acima de 50 anos, provavelmente já pegaram a doença e já estariam imunizados. Porém não significa que ela não deva vacinar, uma vez que há um surto, o ideal é tomar novamente outra dose da vacina.

 

Quem não deve tomar a vacina?

O paciente já suspeito de sarampo não pode tomá-la. Além de Gestantes, crianças menores de 12 meses de idade e pessoas com doenças que comprometem o sistema imune.

 

As gestantes devem vacinar apenas após o parto e quem planeja engravidar, deve primeiramente colocar a vacinação em dia e aguardar pelo menos 1 mês após a última dose.

 

Pessoas alérgicas a ovo e proteína do leite devem tomar precauções e ser consultadas por um profissional da área.

 

A campanha de vacinação 2018

Procure se informar! É necessário que todos sejamos vacinados! Desde pessoas de classe média alta até as de classe média baixa. É preciso orientar Ongs, abrigos de moradores de rua, clínica de reabilitação, enfim, todos!

 

Veja as orientações da campanha de vacinação 2018:

A campanha vai de 6 a 31 de agosto. O dia 18 de agosto será o dia de mobilização nacional, apelidado de “Dia D”. Nesse período, as crianças devem ser levadas aos serviços de saúde, mesmo que tenham sido vacinadas anteriormente. Durante essas semanas, os postos de saúde da rede pública oferecerão as doses gratuitamente

 

A campanha será para o sarampo como também para a poliomielite. Seu propósito é vacinar crianças, que ainda não vacinaram, ou as que já vacinaram, porém não tiveram resposta imunológica satisfatória à vacinação.

 

A primeira dose da vacina na criança deve ser feita aos 12 meses de idade. Três meses depois, já aos 15 meses, a criança recebe outra dose da mesma, com a adição de uma dose da varicela.

 

Até os 4 anos de idade, a criança, que não vacinou no tempo correto, ainda poderá receber a vacina, acrescentada a varicela. Dos 5 aos 29 anos, o indivíduo deverá tomar duas doses da tríplice viral, fazendo um intervalo de 30 dias após a outra dose. E de 30 aos 49 anos, o indivíduo deverá tomas uma única dose.

 

Em resumo, é recomenda a vacina tríplice viral até os 49 anos de idade, mas isso também não significa que pessoas mais velhas não poderão se vacinar. A explicação se dá, devido a possibilidade da pessoa com mais de 50 anos já terem entrado em contato com o vírus e, por isso, estarem imunes ao sarampo.

 

Assim, o Ministério da Saúde busca vacinar 95% da população de 12 meses a 49 anos para evitar que o surto se alastre.

 

Faça sua parte! Tenha generosidade! Se você tem menos de 50 anos, vacine e oriente pessoas “mal informadas” a procurar uma Unidade Básica de Saúde mais próximo do local onde vivem. Com isso, se tornando imunes ao sarampo

Deixe Sua Opinião - Comente Abaixo :
%d bloggers like this: