Câmara atinge quórum e começa a votar denúncia contra Michel Temer

O plenário da Câmara dos Deputados atingiu no início da tarde desta quarta-feira (2) o quórum mínimo de 342 parlamentares para abrir a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer. Mais cedo, a sessão precisou ser encerrada após ultrapassar o tempo limite de cinco horas previsto no regimento da Casa.

Com isso, o processo de votação precisou recomeçar, com a possibilidade de apresentação de novos requerimentos e o quórum zerado. A oposição comemorou a abertura da nova sessão. Os novos requerimentos de adiamento da sessão não devem ser aprovados, porém a sua apreciação pode atrasar ainda mais a votação.

Agora, dois deputados falarão contra e dois a favor da continuidade da denúncia. Os partidos farão encaminhamento, e então será iniciada a votação propriamente dita.

Temer diz que ainda tem longa tarefa pela frente e cita reformas

Antes do encerramento da sessão, por volta das 14h, havia cerca de 400 deputados no plenário. Às 14h12, o número caiu para 205.

O adiamento da primeira sessão do dia foi comemorado por oposicionistas. A expectativa do grupo contrário ao presidente é transferir a votação para a noite desta quarta ou até mesmo para a próxima semana, a fim de ganhar tempo.



Votação nominal

A votação do parecer da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) será feita por chamada nominal: cada deputado será chamado ao microfone para proclamar seu voto em 15 segundos — tempo definido pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Deputados da oposição reclamaram que durante a votação do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, os parlamentares levaram até 30 segundos para proferir seu voto.

O voto “sim” concorda com o parecer apresentado à CCJ pelo deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), e é contra a instauração de processo no STF (Supremo Tribunal Federal) contra Temer. Já o voto “não” é contrário ao parecer de Abi-Ackel, e defende que Temer seja investigado pela Corte.

Os números da votação que define futuro de Temer

Os deputados serão chamados começando por um Estado do Norte, seguido por um Estado do Sul — e vice-versa, prosseguindo assim, sucessivamente, pelos demais Estados e pelo Distrito Federal.

Após a chamada de todos os parlamentares de um Estado, serão chamados os ausentes. Se houver pelo menos 342 votantes, o resultado poderá ser proclamado. Caso esse número não seja atingido, outra sessão será convocada, para nova votação.

Resultado

Caso o Plenário siga o entendimento da CCJ, contrário à abertura de processo contra o presidente, o caso será suspenso e só poderá ser analisado pela Justiça quando Temer deixar o cargo.

Já para derrubar o parecer da CCJ, pelo menos, 342 deputados precisam votar contra o parecer de Abi-Ackel. Nesse caso, o Supremo fica autorizado a analisar a denúncia.

Se o processo for aberto, o presidente da República é afastado por 180 dias. Decorrido esse prazo, se o julgamento não estiver concluído, o presidente retorna ao cargo, sem prejuízo da continuidade do processo no STF.

 

 

Fonte: r7.com

Acesse Aqui Mais Noticias no Portal da Paraíba

Deixe Sua Opinião - Comente Abaixo :

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: